Seguidores

terça-feira, 5 de abril de 2016

OS SACRAMENTOS- Sinais do amor de Deus

       BATISMO - Nos dá a identidade de Cristãos pela força do Espírito Santo. Então passamos a fazer parte  da comunidade dos cristãos que se chama Igreja. Todo cristão é chamado a  testemunhar Jesus na comunidade e em toda parte. Como cristãos, continuamos a missão dos Apóstolos, sendo testemunhas de Jesus em casa, na escola, na vizinhança, na rua e em todos os ambientes. Em todos os lugares em que  a gente for, temos que mostrar a nossa alegria de ser cristão, de ser parecidos com Jesus, de pensar, de sentir, de falar, de olhar sempre do jeito de Jesus.

       EUCARISTIA - É o alimento, ninguém vive sem se alimentar. Para viver , dependemos não só da comida, mas também do pão da fraternidade, do carinho, da justiça. Nessa experiência de repartir o pão de cada dia, seja o pão de trigo, seja o pão da dor ou da alegria, Deus está presente.
      Celebrar a Eucaristia é também uma denúncia  contra a falta de  fraternidade que existe no mundo, porque na Eucaristia comemos do mesmo pão, quando na vida falta pão para tanta gente. Acreditamos e celebramos tudo isso na comunhão. A Eucaristia é Deus mesmo se repartindo como pão na doação de Jesus.
" Portanto não vivais preocupados dizendo: Que vamos comer? Que vamos beber? Como nos vestir? Os pagãos  é que vivem procurando todas estas coisas . Vosso Pai que está nos céus sabe  que precisais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas  por acréscimo." 

PENITÊNCIA -  É reconciliação com Deus e com os outros, é a volta. Quase todo dia dia a gente cai e se levanta. Pequenas quedas e grandes tombos. Ninguém quer ficar no chão. A gente pisa em falso porque não enxerga bem os passos e o caminho de Jesus. Erramos de caminho. Atrapalhamos a caminhada uns dos outros. Deus sempre dá a mão para a gente se deixar conduzir. No  sacramento da Penitência celebramos a coragem de pegar de novo na mão de Deus e voltar a andar no caminho Dele.

CRISMA - Confirmação e Compromisso de Apóstolos com a Igreja e o mundo. O cristão, hoje é chamado a tomar consciência pessoal do que significa para ele o Sacramento e dos compromissos que tem de viver.A Crisma é a força de Deus. Nós só conseguimos viver porque Deus nos dá essa força. Essa força de Deus é o Espírito Santo agindo em nós. Na Igreja, a experiência de nossa vida é celebrada no sacramento da Crisma é o sacramento do cristão que está amadurecendo na fé.

ORDEM ou SACERDÓCIO - Todo dia precisamos de  ajuda de pessoas para viver com a gente. orientar, mostrar o caminho. Essas pessoas nos ajudam a alimentar a fé, acreditar na esperança, esperar na fraternidade. Tem gente que se dedica a este serviço. Vive para isso. O padre é um exemplo  Dedicação por excelência, só a de Deus. Deus se dedica tanto que  chegou a confiar seu próprio Filho a nós,a aceitar que ele morresse na cruz por nós. Tem gente que consagra sua vida para mostrar aos irmãos esse grande amor de Deus. No sacramento da Ordem, quando o bispo impõe as mãos  sobre aquele escolhido    enxergamos o grande amor de Deus por nós.

MATRIMÔNIO - Ninguém consegue viver sem a presença e a amizade de outras pessoas. Ninguém está sozinho. No matrimônio ( casamento) , essa amizade é repartida entre o marido e a mulher: é repartida entre o casal e os filhos, e com a comunidade onde vivem. O mais difícil no amor é permanecer firme nele. Só Deus mesmo é capaz de ser sem defeito, fiel e amoroso. Quando ao casal é fiel no amor, é um grande sinal de Deus. Deus está presente no amor do  casal. Receber este sacramento é comprometer-se por toda a vida.

UNÇÃO DOS ENFERMOS -  A doença nos mostra quer somos limitados. Deus cura a doença e a raiz da doença. Deus está presente em nosso esforço de arrancar o mal pela raiz.Jesus sentia grande compaixão dos doentes. Pois frequentemente de ocupava com eles, curando-os dos seus males. A Unção dos Enfermos não é um rito  de consagração como o Batismo  e a Crisma. É um conforto num momento de dor e sofrimento. Esta unção é feita no sentido da cura das doenças e no perdão dos pecados.

 Nossa vida física processa-se por etapas que costumamos solenizar( Nascimento, aniversário, casamento etc.. ) Cristo também escolheu para sua Igreja acontecimentos significativos para marcar as etapas da vida espiritual das pessoas e as consagrou. Pelo sacramento quer estar conosco e manifestar o seu amor.
- Para comemorar o nascimento - BATISMO
-Para celebrar  a iniciação à vida adulta -CRISMA
- Para festejar a reconciliação com Ele e com os irmãos  deu-nos  a - CONFISSÃO
- Para consolidar e abençoar o amor  de um homem e de uma mulher -MATRIMÔNIO
- Para aqueles que serão seus ministros -ORDEM ( SACERDÓCIO ) -
- Para celebrar a alegria e a união de todos - EUCARISTIA
- Para reforçar a coragem na hora da dor - UNÇÃO DOS ENFERMOS.

PARA REFLETIR

    Acho que um dia, lá no infinito alguém me chamou e disse:" prepara a tua descida. Vai, estuda muito,  prepara a tua vida para um futuro de lutas e embates contra  os teus defeitos e vícios que são muitos. Desce na terra, este pequenino planeta e veja como as lutas são desiguais. Ainda está muito longe a fraternidade.
   Os espíritos ou almas, como queira ainda são muitos gananciosos, viciosos, preguiçosos. Não seguem a Paulo. Cada um é digno de seu trabalho. Ganha o mais forte, aquele que tem mais dinheiro, mais esperteza, tanto faz ou não entender o Evangelho de Jesus. Esta forma de vida tão grandiosa, tão incomensurável,que trouxe à terra, pois esta norma rege todo o Universo.
   Vais ver , sentir na pele as mazelas do desamor,, da traição, da ingratidão.
Mas vai e luta. Mostre que tudo isto não tem valor nenhum, que tudo isto é uma quimera e que termina ao findar da vida.
   Mas os valores refletidos são  aqueles guardados no seu íntimo, no seu coração, na sua exemplificação, na sua liberdade de expressão. Que os valores são no seu caminho a luz que vem de dentro de si e sai expelindo, aspergindo luminosidade deixando um rastro de beleza por onde passa seguindo as regras de Jesus.
    Ama ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e ama com todas as letras o teu próximo como a ti mesmo".



 

quarta-feira, 23 de março de 2016

VIA -SACRA






DOMINGO DA RESSURREIÇÃO

      Era domingo bem cedo e algumas mulheres foram até  o túmulo e o encontraram vazio, assustadas voltaram e contaram aos apóstolos o que tinham visto e estes não acreditando foram também ao túmulo e ficaram admirados com o que viram. É Páscoa, é vida que vence a morte  é passagem da escuridão para a luz. A morte não tem mais poder. Jesus é Vida Nova.




SEMANA SANTA

     No Domingo de Ramos         encerramos a Quaresma e iniciamos a Semana Santa . No Domingo de Ramos celebramos a  Entrada Triunfal de Jesus em Jerusalém . Jesus foi para Jerusalém para celebrar a Páscoa, Quando o povo ficou sabendo foram ao seu encontro para saúda-Lo. Eles  estendiam seus mantos, fazendo um grande tapete para Jesus passar e com ramos de palmeira, todos cantavam e davam vivas. A Igreja recorda os louvores da multidão que proclamavam: Hosana ao Filho de Davi , Bendito o que vem em nome do Senhor, com os ramos nós  manifestamos e acolhemos Jesus como nosso Rei e Senhor.  Esta entrada de Jesus acabou despertando nos sacerdotes  e nos poderosos, muita inveja, desconfiança e medo de perder o poder .
   A multidão O aclamava cheias de alegria e esperança, mas esta mesma multidão, poucos dias depois o acusavam de falso, impostor e pediam sua morte.























QUINTA-FEIRA SANTA


      Jesus, sabendo que ia morrer, quis celebrar com seus amigos sua última refeição. Jesus sabia que tinha chegado sua hora  e que o diabo já tinha colocado no coração de Judas o projeto de  traí-Lo.
      Antes da refeição, Jesus se levantou da mesa pegou uma bacia com água e lavou os pés de cada um, com este gesto nos deixou uma lição  de humildade e de serviço. Ele sendo o mestre, lavou os pés e disse que devíamos fazer fazer o mesmo isto é devemos sempre estar a serviço do irmão.
     Nesta noite celebramos a Instituição da Eucaristia e a Instituição do Sacerdócio .
     Nesta noite, Jesus oferece a Deus seu corpo e sangue. Em sua última refeição Ele parte o pão, agradece a Deus e dá a seus amigos dizendo " Tomai e comei, isto é o meu corpo, toma o vinho e diz: Tomai e bebei isto é o meu sangue  e sempre que fizerem isto fazei-o em minha memória."
  Neste momento a Eucaristia foi instituída. Hoje esta ceia se repete em cada Eucaristia ( Missa). Depois da ceia Jesus  se retirou para o monte da Oliveiras, e os discípulos O acompanharam . Chegando ao lugar, Jesus se afastou  um pouco e de joelhos começou a rezar, Em sua oração pedia ao Pai que se fosse possível afastasse este sofrimento , mas que se fizesse  a vontade do Pai e não a Sua.Neste momento sua angústia e sofrimento eram tão grandes que seu suor se tornou como gotas de sangue que caiam no chão. Depois da oração , Jesus se levantou e foi se unir com seus discípulos e os encontrou dormindo vencidos pela tristeza.
   Enquanto falava com seus amigos, uma multidão se aproximou e na frente vinha Judas, um dos doze que ao chegar diante de Jesus saudou-O com um beijo e O entregou aos soldados.





SEXTA-FEIRA SANTA

 A cruz nos lembra a morte de Jesus. Jesus foi torturado, humilhado e pregado na cruz. Sofreu tudo o que se possa imaginar, um ser humano, jamais aguentaria tanta tortura e tanto sofrimento: e sofreu tudo isso por  amor a cada um de nós, e seu amor foi tão grande que lá na cruz perdoou a todos. Na sexta-feira santa revivemos toda dor e morte de Jesus. Jesus é traído por um de seus amigos, é entregue aos soldados que O levam para ser julgado e condenado. Hoje Jesus continua sendo torturado em cada pessoa que sofre, em cada injustiça,em cada ato que prejudica o irmão. O sofrimento de Jesus é lembrado pelo povo como o sofrimento de todos. São as cruzes que os oprimidos, os pobres, os abandonados e os marginalizados carregam. Nesse dia não se celebra missa, mas é distribuída a comunhão, que significa a certeza da presença de Cristo vivo e solidário em nosso sofrimento. É um dia de silêncio, oração e jejum .










                                                                                                                                                                                                                                                                  







SÁBADO SANTO

É o dia da espera da ressurreição, é o anúncio da Páscoa. É o fim da trevas, da escuridão e da morte. Acontece a  benção do fogo  onde o padre acende  uma grande vela, o Círio Pascal, nele estão gravadas uma cruz e as letras Alfa e Ômega, a primeira e a última letra do alfabeto grego, simbolizando que Cristo é o princípio e o fim de todas as coisas. O Círio representa Cristo  ressuscitado, que é a luz, e é acesa  em todas as celebrações litúrgicas até a festa de Pentecostes, quando se encerra o tempo pascal. Também no sábado é abençoada a água que recorda o nosso batismo. É uma noite de esperança e preparação para a ressurreição.É também chamado de Vigília Pascal, que significa estar vigiando à espera da ressurreição.E também é feita a renovação das promessas do batismo.








  1.  

terça-feira, 1 de março de 2016

LITURGIA E CATEQUESE

  Há um esforço tanto da liturgia quanto da catequese para uma caminhada conjunta. Mas ainda persiste a distância entre liturgia, celebração e catequese. Percebe-se que catequizandos não participam da liturgia. Por outro lado a liturgia tem pouco compromisso com a catequese. Como é esta realidade? Há uma interligação ou a catequese está separada da liturgia e  a liturgia distante da catequese?
  AS ORIGENS
Desde as origens, catequese e liturgia caminham juntas. A catequese necessita da liturgia e a liturgia da catequese.
A liturgia celebra o mistério de Cristo através dos ritos, palavras, símbolos, gestos que revelam  e significam. Disto decorre  a importância da Catequese  que vai aprofundar o mistério de Cristo, dar sentido e significado para os ritos, palavras e gestos.
De certa maneira pode-se afirmar que a catequese e a liturgia nasceram juntas e uma necessitam da outra.
A Liturgia sem catequese torna-se um rito vazio e a catequese sem a liturgia tornam-se palavras sem eco. Durante séculos não se distinguia a catequese da liturgia. Mas ao longo do tempo, por diversas razões , a catequese foi se distanciando da liturgia e a liturgia da catequese.
Essa separação foi prejudicial para ambas e em especial para a experiência da fé e da celebração.

CATEQUESE E LITURGIA
 " Na liturgia. Deus fala a seu povo e o  povo responde a Deus com cânticos e orações".
A proclamação da Palavra, as orações, os ritos sacramentais, a vivência do ano litúrgico, as festas, o tríduo pascal são verdadeiros momentos de educação e crescimento da fé.
   A liturgia é fonte inesgotável da catequese, síntese e cume da vida cristã . A celebração é ao mesmo tempo, vivência e anúncio dos mistérios da salvação. Assim a liturgia é lugar privilegiado de educação da fé.
Conforme o Diretório Nacional de Catequese " O mistério de Cristo anunciado na catequese é o mesmo que é celebrado na liturgia  para ser vivido, pois pelos sacramentos a liturgia leva a fé e a celebração da fé se insere nas situações da vida.
" A catequese como educação da fé e a liturgia como celebração da fé são duas funções da única missão evangelizadora e pastoral da Igreja".
A liturgia com seu conjunto de palavras, ritos, símbolos e cores requerem da catequese uma iniciação gradativa para que a liturgia seja compreendida e vivenciada.
TAREFA DA CATEQUESE

É missão da catequese iniciar os catequizandos nos sinais, ritos e símbolos litúrgicos e através deles introduzi-los no mistério pascal. É a catequese litúrgica que prepara os sacramentos. Ajuda a vivenciá-los e imergir o cristão na profundidade do mistério cristão.
É a catequese que explica o conteúdo das orações, o sentido dos gestos e símbolos, educa para a participação, contemplação, vivência da fé e da caridade
O roteiro de catequese, em cada encontro com  catequizandos, deve ser um processo de interação entre a vida, a fé e a celebração.
Texto de Dom Juventino Kestering  - Bispo de Rondonópolis  MT





     

VALORIZANDO A VIDA

      Um rico mandarim  chinês encheu-se de tédio pela sua vida luxuosa e pelo seu poder sem limites. Nada mais despertava seu interesse , não sentia prazer em coisa alguma . Seus desejos mal eram formulados e já estavam realizados.
     Tinha perdido a vontade de viver. Percebeu a rotina e a inutilidade de sua existência e temeu ficar louco. Para acabar com o sofrimento, o rico mandarim ordenou ao seu barbeiro que, num dia qualquer, sem nenhum aviso, ao fazer-lhe a barba, cortasse-lhe a garganta. Era uma ordem e tinha que ser obedecida.
    Nos primeiros dias , o mandarim se deixou barbear com toda tranquilidade, pois não esperava que sua ordem fosse cumprida de imediato, mas, à medida que o tempo passava, começou a se perguntar se o dia seria amanhã.
    O mandarim passou então a viver cada dia como se fosse o último. Assim, livre da "obrigação de viver", o rico homem começou a perceber como era lindo o amanhecer, como eram diferentes os tons de verde dos seus campos, como era alegre o canto dos pássaros e como eram belas as suas cores, como eram imponentes e cheios de força os rios que cortavam suas propriedades.
   Viu também toda a beleza de uma tormenta, numa exibição gratuita de  energia . Viu também que tinha um corpo e se deu conta de que, só tendo um corpo capaz de sentir, podia viver a beleza da vida. Por tudo isso valia a pena viver!
    O barbear começou a  ser agonia após ter tomado consciência  do valor da vida, e  , embora tivesse dado uma contra-ordem ao barbeiro para não cortar-lhe mais a garganta, mandou o barbeiro embora e contratou outro, por via das dúvidas. " É PRECISO AMAR AS PESSOAS COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ" ( Legião Urbana)

Também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...